A área de Seleção é uma das áreas mais estratégicas da empresa, e de recursos humanos.
É responsável por definir uma metodologia eficiente para  escolher a pessoa certa para a empresa. O impacto dessa atividade no negócio da empresa é altíssimo, já que uma decisão errada ou acertada pode mudar os rumos e a vida das pessoas.

Na empresa em que trabalho, essa função é classificada como estratégica, tendo um peso maior do que as funções ligadas ao treinamento e desenvolvimento de pessoas.

Apesar de ter todo esse peso estratégico, a área de seleção é, também, uma das áreas mais operacionais dentro de RH. Existem atividades como ligar para candidatos, agendar sala, preparar material para dinâmicas de grupo, responder e enviar e-mails, fazer anúncio da vaga, filtrar currículos, etc.

Em contrapartida, é impagável a constatação de colocar a pessoa certa e ver o quanto isso gera de benefício para a empresa e para um grande número de pessoas.

Dentro das atividades estratégicas, a área de seleção deve conhecer como ninguém, o negócio da empresa, deve ter no sangue a cultura e os valores da empresa, deve conhecer as pessoas e a dinâmica das equipes, o estilo de liderança de cada gestor.  Além disso, deve dominar as metodologias de seleção de pessoas ( a que a empresa usa e todas as outras), deve ter bons conhecimentos de psicologia e sociologia (adquiridos através de estudo formal ou não).
Parece pedir muito?
O profissional de seleção deve ter todo esse preparo. O pior é que, depois de todo esse preparo, chamam isso de feeling. O pior é que, às vezes, o próprio RH considera isso um feeling. Na verdade, é muito preparo.

A carreira nessa área está em alta. Percebe-se que as empresas estão alocando os recursos anteriormente usados aos montes para a área de treinamento e desenvolvimento para a área de seleção.
Por que esse movimento?
Porque nota-se que o “conserto” de uma contratação errada custa muito caro, e, na maioria das vezes, não há conserto. A experiência tem mostrado que trazer uma pessoa com o “hardware” certo, você pode instalar qualquer “software” que o negócio vai funcionar perfeitamente. Agora, se a pessoa não possui os mesmos princípios da empresa, não cultiva valores semelhantes ou possui falhas de caráter, não há dinheiro que consiga transformar essa pessoa. E o estrago que essa pessoa pode causar na empresa, é incalculável.

Por isso, quem pensa em seguir essa área, estude bastante. Entenda sobre o ser humano e sobre o negócio da empresa.

Enxergo uma grande oportunidade em mudança nas metodologias de seleção existentes, hoje ainda existe muito a falácia da seleção por competências, mas na verdade, nem isso ainda é usado corretamente. Use fatos e dados, justifique sua decisão sobre o candidato indicado com fundamentação e seja o principal parceiro do gestor na hora de definir sua equipe.

O conhecimento do ser humano e do negócio, aliado as facilidades de comunicação que temos hoje, fica muito mais fácil achar a pessoa certa. Teste redes sociais, teste novos tipos de interação com os candidatos, fuja das entrevistas formais e enfadonhas, ou de dinâmicas de grupo sem objetivo. Estude o perfil que você procura, descubra que lugares essas pessoas frequentam, quais redes sociais elas estão inseridas, o que sua empresa pode oferecer que as agrada, hoje, temos acesso a todas essas informações. Basta, apenas, usá-las com inteligência.

——————————–

Especial – Área de Recursos Humanos

veja os outros artigos sobre as áreas do RH. Afinal, o que o RH faz?

——————————–